Aniversariante do dia: Fernando Alonso

30 07 2009

Início

Fernando Alonso nasceu em Oviedo, Astúrias, no norte da Espanha. Sua mãe trabalhava em um armazém e seu pai foi empregado como um mecânico em uma fábrica de explosivos perto de Oviedo. Alonso tem uma irmã mais velha, Lorena. O pai José Luis de Alonso, um piloto amador de kart, quis passar sua paixão a seus filhos. Construiu um kart, originalmente para Lorena de oito anos, mas ao contrário de seu irmão de três anos, não mostrou nenhum interesse no esporte.

Fernando Alonso quando começou a andar de kart

Fernando Alonso quando começou a andar de kart

Quando criança, Alonso participou em competições de kart em torno da Espanha, tendo seu pai como suporte, que igualmente támbem virou seu mecânico. Sua família não tinha os recursos financeiros necessários para desenvolver uma carreira no automobilismo, mas teve patrocínio atraído pelas vitórias e os fundos de caridade. Alonso ganhou quatro campeonatos espanhóis lado a lado na categoria júnior, entre 1993 e 1996 e a taça do mundo júnior em 1996. Ganhou o espanhol e os títulos Inter-Um italianos em 1997 e em 1998 ganhou o título Inter-Um espanhol outra vez assim como o revestimento em segundo no campeonato europeu.

 Fernando Alonso analisando a roda de seu Kart antes de uma corrida

Fernando Alonso analisando a roda de seu Kart antes de uma corrida

Adrián Campos de Minardi  deu a Alonso seu primeiro teste em um carro de Formula 1 em outubro de 1998. Após três dias do teste no circuito de Albacete, Alonso tinha batido os tempos de seu companheiro Marc Gené de Campos. Campos assinou com Alonso para competir para ele 1999 no euro espanhol MoviStar aberto pela Formula Nissan. Em sua segunda corrida, outra vez em Albacete, Alonso ganhou pela primeira vez. Tomou o campeonato por um ponto do rival Manuel Giao ganhando e ajustando o tempo mais rápido na última corrida da temporada. Alonso igualmente testou para a equipe de Fórmula 1  Minardi, virando tempos 1.5 segundos mais rapido que os outros concorrentes nos testes.

Na seguinte  temporada Alonso foi para a fórmula 3000, que era frequentemente o passo final para pilotos antes da ascensão para a Fórmula 1. Alonso juntou-se à equipe Astromega e foi-se o piloto mais novo na temporada nesse ano em onze meses. Alonso não marcou um ponto até a sétima corrida do ano, mas nos dois círcuitos finais tomou um segundo lugar e uma vitória, bastante para que termine a temporada em quarto atrás de Bruno Junqueira, Nicolas Minassian e Mark Webber.

Formula 1

Fernando Alonso e Tarso Marques na Minardi

Fernando Alonso e Tarso Marques na Minardi


2001: Minardi

Alonso foi o terceiro piloto mais jovem a pilotar um carro de Formula 1, quando fez sua estréia pela Minardi no GP da Australia de 2001. A equipe estava em sua primeira temporada sob o camando do novo proprietário Paul Stoddart e seu novo carro, o PS01, não eram nem rapido e nem confiavel.

Notáveis desempenhos ao longo da temporada de 2001 teve ganhos e lhe deu alguma atenção apartir de equipe melhores. Em setembro Flavio Briatore tinha começado a planejar colocar Alonso na Benetton. Briatore o colocou em 2002 como piloto de testes.

2002 – 2006: Renault

2003: Benetton virou Renault, em 2003 Briatore tirou Jenson Button e o colocou como parceiro de Jarno Trulli.

E também nessa mesma temporada Alonso tornou-se o mais jovem piloto a cravar uma pole position no Grande Prêmio da Malásia de 2003. Na mesma temporada Alonso teve um acidente no Grande Prêmio do Brasil ele bateu nos destroços do carro de Mark Webber, e também tornou-se o piloto mais jovem a vencer uma corrida no GP da Hungria de 2003. E terminou o ano em sexto no campeonato com 55 pontos e quatro pódios.

2004: Alonso permaneceu na Renault na temporada de 2004, ficou no pódio na Austrália, França, Alemanha e Hungria. Em Indianápolis sofreu um acidente em alta velocidade enquanto estava na terceira colocação. Na França marcou a pole-position e terminou na segunda colocação. No final do ano Jarno Trulli saiu, que não superava o Alonso,  Briatore não gostou de suas performances no time Francês, ele saiu e assinou contrato com a Toyota em 2005. Alonso terminou o campeonato na quarta colocação com 59 pontos.

Alonso e Trulli em 2004

Alonso e Trulli em 2004

2005: Em 2005 o companheiro de Alonso era Giancarllo Fisichella. Alonso terminou em terceiro na Austrália, depois ganhou as duas seguintes: Malásia e Bahrein. A terceira vitória veio Em San Marino.

Depois a McLaren melhoreu bastante seu redimento e viu Kimi Raikkonen vencer na Espanha e Mônaco, enquanto Alonso consegui a segunda e quarta posição, respectivamente. No GP da Europa em Nurburgring  Raikkonen ia vencer quando sua suspenção quebrou, e a vitória caiu nas mãos de Fernando Alonso.

Alonso não conseguiu pontuar nem no Canáda e nem nos EUA.

Alonso teve sua terceira pole position e quinta vitória no Grande Prêmio da França. Ele também foi pole no GP da Inglaterra e terminou a prova em segundo atrás do Montoya. E a McLaren jogou outra vitória no lixo no Grande Prêmio da Alemanha quando Kimi teve problema hidráulicos e abandonou a prova.

Alonso selou o titulo no Brasil e tornou-se o mais jovem campeão da F-1, além de terminar com o legado consecutivos de titulos de Michael Schumacher.

Alonso e Fisichella

Alonso e Fisichella

2006:

Alonso venceu a primeira corrida da temporada 2006 de Fórmula 1 no Bahrein, superando Michael Schumacher. Ele terminou em sétimo no Grande Prêmio da Malásia, devido a um erro de reabastecimento, mas seu companheiro de equipe terminou em segundo, Giancarlo Fisichella.
Ele ganhou o GP da Austrália após ultrapassagem sobre o líder da prova Jenson Button, da Honda.

Após a fraca qualificação em San Marino, Alonso não foi capaz de passar Michael Schumacher e terminou em segundo. Schumacher bateu Alonso novamente no Grande Prêmio Europeu após o espanhol começou na Pole. Mas Alonso bateu Schumacher em casa, tornando-se o primeiro espanhol a ganhar a sua corrida em casa 14 de maio de 2006 no Grande Prêmio da Espanha.

Ele levou pole position no Grande Prémio de Mônaco, Michael Schumacher fez o tempo de 1:13.898, no entanto, durante a última volta do treino, Schumacher parou o carro na La Rascasse, resultando em uma bandeira amarela, fazendo com que os outros pilotos diminuíssem a velocidade. Após a sessão, houve queixa de imediato das outras equipes que este tenha sido um movimento deliberado pela Ferrari para garantir Schumacher na pole position, já que Alonso vinha em um ritmo de bater o tempo dele. Embora Schumacher tenha dito que havia cometido apenas um erro, os fiscais de pista resolveram por excluir os tempos dele nas três partes. Como resultado, Schumacher optou por largar do pitlane. E Alonso ganhou a corrida.

Ele alargou suas vitórias, foi quatro consecutivas, depois das duas anteriores veio Canadá e Inglaterra. Ambas as vitórias vieram de pole position, e na Inglaterra foi a sua primeira vitória completa, com  pole e volta mais rápida.
Schumacher volta a luta começou em Indianápolis onde o alemão venceu e Alonso foi quinto. Schumacher venceu o Grande Prêmio de França, com Alonso em segundo, e o espanhol foi o quinto no Grande Prêmio alemão. Nesse ponto do campeonato Alonso levava 11 pontos de vantagem.

Na Hungria Alonso não marcou pontos, Schumacher só marcou apenas um ponto.

Alonso terminou em segundo Turquia, com a  terceira colocação de  Schumacher e ganhou mais dois pontos vitais. Mas ele perdeu muito terreno depois de um controverso italiano Grande Prémio. Ele sofreu um furo durante a qualificação que danificado carroçaria na parte traseira do seu carro. Fernando Alonso originalmente se qualificou com o tempo de 1:21.829 no Q3, porém teve seus três tempos mais rápidos no Q3 deletados, dessa maneira caindo do quinto para o décimo lugar, depois que os comissários de Monza o penalizaram, julgando que ele havia bloqueado a Ferrari de Felipe Massa durante a qualificação, e ele começou a corrida a partir da 10ª posição. Na corrida ele subiu para o terceiro lugar antes de uma falha do motor o obrigou a retirar-se. Schumacher venceu o Grande Prêmio e reduziu a vantagem para apenas dois pontos.

Na corrida seguinte da China, Alonso foi pole position durante uma sessão, mas terminou em segundo e Schumacher ganhou a corrida. E terminaram com o mesmo numero de pontos no campeonato, 116 para ambos.

No Grande Prêmio de japonês, a Ferrari de Schumacher e Massa se qualificaram em primeiro e segundo, mais de meio segundo mais rápido do que as Renault’s, que ficaram em quinto e sexto. Mas depois de seis anos, desde o Grande Prêmio da França de 2000, Michael Schumacher volta a ter um motor estourado. O abandono acabou sendo decisivo para o título de Fernando Alonso, que ganhou a corrida. E deu-lhe uma vantagem sobre os dez pontos a Schumacher, necessitando apenas um ponto a partir da última rodada para reter o título.

Segundo lugar no Grande Prêmio Brasil, em 22 out. Alonso deu o campeonato. Com Schumacher terminando em quarto lugar, a diferença final foi de 13 pontos. Alonso, assim, se tornou o bicampeão mais jovem na história do esporte. Renault também conquistou o titulo de construtores.

Comemorando o segundo titulo consecutivo em 2006

Comemorando o segundo titulo consecutivo em 2006

2007: Os dois pilotos da equipe disputaram o título, ponto a ponto, até o final, mesmo após a polêmica declaração do dirigente da organização, Ron Dennis, no Grande Prêmio da China, de que “a McLaren não corria contra Kimi Räikkönen (então com dezessete pontos de desvantagem aos pilotos da McLaren), mas sim contra o próprio Alonso”. A falta de apoio ao espanhol, aliado aos problemas no carro e erros de Lewis Hamilton nas duas provas finais, resultaram no surpreendente título mundial do finlandês Kimi Räikkönen, da equipe Ferrari, por um ponto de diferença sobre a dupla da McLaren. Alonso no critério de desempate terminou em terceiro lugar no campeonato, já que no número de segundo lugares, Hamilton tinha um de vantagem. Dias após a prova final do campeonato, Alonso rompeu, “amigavelmente”, seu contrato junto ao time britânico.

Alonso na McLaren em 2007

Alonso na McLaren em 2007

2008: Em 2008, Alonso disputou o campeonato pela equipe Renault, marcando um retorno a equipe que defendeu nas campanhas vitoriosas de 2005 e 2006 e tendo como companheiro de equipe o brasileiro Nelson Ângelo Piquet. Ao longo da temporada, conquistou três pódios, obtendo duas vitórias (Grande Prêmio de Cingapura e Grande Prêmio do Japão), sendo que a primeira foi muito especial por se tratar da 1ª corrida noturna na história da F1. E um segundo lugar no Grande Prêmio do Brasil.

*pessoal me desculpem pelo atraso, aniversario do Alonso foi ontem 29/07. Zé Neto.

Em 2008, Alonso disputou o campeonato pela equipe Renault, marcando um retorno a equipe que defendeu nas campanhas vitoriosas de 2005 e 2006 e tendo como companheiro de equipe o brasileiro Nelson Ângelo Piquet. Ao longo da temporada, conquistou três pódios, obtendo duas vitórias (Grande Prêmio de Cingapura e Grande Prêmio do Japão), sendo que a primeira foi muito especial por se tratar da 1ª corrida noturna na história da F1. E um segundo lugar no Grande Prêmio do Brasil.
Anúncios

Ações

Information

One response

30 07 2009
Felipe

bacana, não vi em nennhum site nenhum especial e nem mencionando, brigadinha por fazr essa materia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: